Como atrair turistas

Como atrair turistas
Como atrair turistas

Como atrair turistas

Como atrair turistas deve ser o seu pensamento neste verão. Uma estação muito gostosa pra sair, se divertir com a família e amigos. É uma época que ninguém quer ficar em casa, não é mesmo?

Porém, aposto que você, que trabalha com hotelaria, deve estar se perguntando: mas como atrair turistas para o meu hotel? Nós ajudamos você com algumas dicas simples e eficazes!

Pesquisa local para atrair turistas

Primeiro, aconselho você a fazer uma pesquisa com os próprios moradores da cidade. O intuito é saber quais, para eles, são os pontos mais atrativos, o que eles gostam e o que indicam. Outra coisa de extrema importância é estabelecer um fator pelo qual sua cidade deva ser altamente conhecida. Assim como um lema, como por exemplo: Atibaia (cidade do morango); Bragança Paulista (terra da linguiça); Piranguinho (capital do pé-de-moleque), entre outras. Isso ajudará na hora de atrair turistas de fora e até mesmo gerar curiosidade e interesse.

Parcerias

Por conseguinte, faça uma análise e defina os apontamentos apresentados na pesquisa. Você deve trabalhar com isso a seu favor. Tentar algum tipo de parceria. Caso o lugar seja privado, é uma boa alternativa. Isso favorecerá tanto seu negócio, quanto o de seu parceiro, além de ajudar no giro comercial de sua cidade.

Redes sociais: ótimas para atrair turistas

Entretanto, o uso das redes sociais nunca pode ser deixado de lado. É imprescindível que seja trabalhado postagens em seu perfil oficial, tanto dessas determinadas parcerias, quanto promoções, novidades e até mesmo conteúdos de inbound marketing. Além disso, o uso de marketing de guerrilha também pode ser bem útil em certos momentos, se aplicado de maneira correta e inovadora, por isso há de se pensar bem antes de realizar.

Como atrair turistas com ajuda profissional

O auxílio de um bom profissional de comunicação é de grande valor nesse momento. Eles orientarão o melhor caminho a ser seguido e ajudarão na visibilidade de sua marca ou negócio na região, para seu respectivo público-alvo.

Por data

Categorias:

O futuro das experiências: expectativas para 2019

O futuro das experiências: expectativas para 2019

o futuro das experiencias

O futuro das experiências é um tema atual. Você sabe o que seus clientes pensam da sua empresa? Nos dias atuais, o consumidor está cada vez mais exigente em suas compras. Com a expansão do mundo digital ele tem facilidade para buscar e compartilhar informações. O que faz com que a reputação do seu negócio esteja nas mãos dos clientes. Por isso, é necessário entender qual o nível de satisfação de cada um deles em relação aos serviços ou produtos que você oferece.

Consumidor exigente demanda mais experiência

A vasta disseminação da tecnologia e informação tem tido um impacto significativo na mudança do perfil dos consumidores que estão cada vez mais exigentes. Você certamente notou isso, não é mesmo? Acompanhar de forma contínua cada estratégia dentro do seu negócio é essencial para aprimorar cada vez mais as experiências geradas pela marca e estar à frente da concorrência. Além de pontos específicos e estratégicos voltados para cada área das organizações, existem pontos importantes e que devem ser valorizados. Pois bem, abaixo listamos alguns deles:

Atendimento: O atendimento ao cliente é a primeira chave para uma relação duradoura entre público e empresa. Investir nesse ponto pode dar credibilidade à marca e aumentar as vendas;

Satisfação do cliente: Monitorar a satisfação dos seus clientes assegura uma boa relação e mantém a boa reputação dos negócios;

Canais de contato: Os canais de contato são caminhos dos clientes até a marca. Para melhor experiência, é necessário que ofereçam praticidade e qualidade, visando o perfil dos clientes;

CS e Relacionamento: É nesse ponto em que você se diferencia do concorrente e fideliza o cliente.

O futuro das experiências: tendências para 2019

Agora que você identificou os pontos principais, vamos falar sobre o futuro das experiências e as tendências para 2019? Bom, o ano de 2018 está sendo marcado pela necessidade de exclusividade do cliente e pela grande proporção de dados. Por isso é necessário começar por:

Personalização por meio de dados: Uma comunicação personalizada faz com que o cliente se sinta especial. Além disso, essa estratégia fideliza os clientes, que disseminam o nome da sua marca;

Campanhas com microinfluenciadores: Os consumidores estão dando mais credibilidade aos novos creators do que para os grandes influenciadores. Segundo levantamento da Squid, os microinfluenciadores produzem 66% do conteúdo disponível na internet e tem um impacto 6 vezes maior nas redes sociais;

Inteligência artificial: A I.A é a mais nova grande aliada das empresas a fim de melhorar as vendas. Vem caminhando lado a lado com o marketing em uma escala gradual de grande eficiência, principalmente como assistentes virtuais e atendimento ao consumidor.

Mapeamento da jornada do consumidor: Mapear a jornada do cliente é comum, não é? Mas em 2019 isso também será tendência. Continuar mapeando os clientes em seu grau de evolução e mudança de comportamento nos multicanais, satisfaz o que tanto buscam, a relação única, uma vez que se use o contato e mensagens em momentos e formatos certos. O que por sua vez, gera a lembrança de marca.

Content Shock: Ou “embate de conteúdo” faz parte das tendências para que sua empresa continue alcançando as pessoas. Ainda que o número de conteúdo gerado ultrapasse o que o público é capaz de consumir, continuar utilizando o Content Shock é uma forma de estar bem posicionado nos motores de busca como Google, Bing, Yahoo e outros, evitando que a concorrência seja notada.

Seja a diferença no mercado

Com todas essas tendências e o futuro das experiências, o que acha de temperar a sua marca? Buscar a diferença no mercado e estar atento a atualização constante implica em vantagens competitivas e gerar a melhor experiência para o seu cliente certamente te colocará à frente!

Por data

Categorias:

Black Friday: quem não vende, tem medo do quê?

black friday

Black Friday: quem não vende, tem medo do quê?

Você quer ver sua empresa largar em vantagem no final do ano? Com um planejamento baseado na Black Friday é possível.

Black Friday

Realidade no Brasil desde 2010, a Black Friday ganhou grande proporção para o público brasileiro, principalmente se compararmos o período de 2014 para os dias atuais. No primeiro, menos de 30% dos consumidores tinham conhecimento sobre a sexta-feira. Hoje, aponta-se que 99,5% dos consumidores conhecem e fazem as famosas compras.

A pergunta é: como transformar a busca em compras efetivas?

Com o crescimento de compras online, a Black Friday é uma chance para a conversão de vendas e o aumento no número de e-shoppers, visto que, de 2012 para esse ano, aumentou de 30 milhões para 60 milhões.

É claro que existem pessoas que ainda evitam a Black Friday, algumas porque enxergam a data como fraude repleto de falsos descontos, outras apontam a falta de dinheiro. Contudo, o consumo nesse evento possui características únicas quando comparado a outras datas. Nesta, a pessoa acredita na boa oferta e se permite comprar produtos para si e para sua casa, fazendo o bom uso da frase “eu mereço”, o que comprova que o carro chefe em vendas neste período, são os smartphones.

Por data

Categorias:

Buscas como conversa

Experiência do Consumidor
Experiência do Consumidor

As buscas estão virando conversa

Buscas como conversa

À medida em que o mundo muda, pequenas partes que o compõem implicam em alterações significativas, como, por exemplo, a tecnologia. Hoje, extremamente intuitiva. O que isso significa? Bom, podemos observar que as pessoas estão fazendo buscas sobre produtos e serviços nos quais estão interessadas como se estivessem conversando. Primeiro, isso implica em perguntas mais precisas e, de certo modo, com uma boa pitada de abordagem específica. Segundo, quando as respostas vêm de forma eficiente, desperta-se uma sensação de confiança e saciabilidade. Com isso, faz nascer uma relação entre quem pesquisa e a marca capaz de oferecer tais respostas.

A busca do “Eu” como destaque

O que se sabe é que as pesquisas específicas estão cada vez mais frequentes e a linguagem abordada soam de forma natural, como um diálogo entre amigos e com o pronome “eu” em destaque.

Ao longo dos últimos dois anos nos Estados Unidos:

  • As buscas com o termo “eu preciso” cresceram 65% no mobile.
  • As buscas com “eu deveria”, também cresceram mais de 65% no mobile.
  • Enquanto que as buscas mobile com “eu posso” subiram para 85%.

Além disso, os termos citados estão ficando cada vez mais frequentes nas seguintes categorias:

  • Finanças;
  • Cuidados pessoais;
  • Automóveis e;
  • Imóveis.

Buscas para quem anuncia

O que isso significa para quem anuncia? É simples: não importa quão óbvia seja a intenção da pessoa ou se a busca parece um pedido de conselho, é necessário criar respostas que atendam a necessidade de cada cliente. Agora vão dois pontos importantes para fazer isso:

  1. Faça uso de uma linguagem mais natural e explore das experiências intuitivas nos seus canais digitais.
  2. Explore além do search. Use palavras chaves e expressões que estão facilmente associadas ao seu modelo de negócio e se atente para frases mais coloquiais que podem ser utilizadas para encontrar você.

Por data

Categorias:

On-line e off-line: publicidade é integrar ações

On-line e off-line: publicidade é integrar ações

O consumidor on-line demostra o sentimento que tem sobre a marca, seja ele positivo ou negativo. A frase “falem mal, mas falem de mim” não funciona na internet. Toda marca quer que o consumidor fale bem dela.

On-line, palavra muito utilizada nos dias atuais. Todos estão conectados, estão presentes. Possuem voz ativa.

On-line

As redes sociais tem um papel muito importante ao falar com o consumidor. As ações on-line para essas ferramentas devem ser muito bem planejadas e, principalmente, executadas. Ninguém gosta de ter o seu espaço invadido ou o prazer interrompido. Tem que ter cuidado e ser propício ao momento.

Várias redes sociais fazem parte de nossas vidas on-line: facebook, twitter, pinterest, instagram, linkedin, foursquare entre muitas outras redes que existem ou deixaram de existir. E cada uma exige um planejamento, uma ação e uma execução diferente. Evite utilizar a mesma linguagem nessas ferramentas. Cada uma tem uma característica e, por isso, deve ser tratada de maneira diferente. Aqui entra o entendimento de como o consumidor age e reage e utiliza cada uma delas. Publicidade é entender o consumidor.

On-line não é apenas rede social

As ações on-line não estão restritas somente às redes sociais. Os dispositivos móveis (smartphones e tablets), que a cada dia tem maior participação nas mãos do consumidor, com seus apps e conectividade, servem como meios de comunicação para falar com o ele. Esses dispositivos geram uma interação maior entre a marca e o consumidor. A integração das ações e meios de comunicação são mais presentes nos planejamentos das marcas.

Para aquele consumidor que está na rua, ou sem energia elétrica, acabou a bateria do dispositivo móvel, não se importa muito com a internet (caso raro) e suas redes sociais ou não pode acessá-las por diversos motivos, a maneira para atingi-lo é pensar e executar as ações off-line.

O consumidor não está apenas on-line

Anúncios em jornal, revista, outdoor, rádio, TV, etc continuam sendo muito importantes. E aqui voltamos a falar: o importante é entender como o consumidor pensa, age e reage ao que é falado, transmitido. Isso ao falarmos das ações conhecidas como convencionais. As ações de intervenção urbana atraem a atenção do consumidor, porque elas vão ao encontro do público onde quer que ele esteja. Esse público deve perceber a marca como única, lembrar dela e, mais que tudo, deseja-la.

 

Entenda o passo-a-passo para definir o seu público-alvo

Publicidade não tem fórmula, o consumidor é diferente e convergente. As ações que foram feitas ontem podem não ter o mesmo efeito hoje. As marcas devem reciclar, repensar e ir além do convencional. Precisam estar preparadas para ouvir os seus consumidores, interagir com eles e, também, saber falar com eles.

Atente-se ao seu consumidor. É nele que você deve pensar antes de executar qualquer ação.

Por data

Categorias:

Dados e comportamento

dados e comportamento

Você sabe compreender os dados e comportamentos?

Em um mundo pós-moderno ou moderno líquido, não importa sob qual ótica você encara a contemporaneidade, o que se sabe é: vivemos a era do banco de dados. Isso significa um montante de informações cada vez mais crescente. Mas e aí, você sabe o que fazer com tantos elementos?

Sabedoria
Conhecimento
Informação
Dados

Dados e comportamento

Com o fugaz mundo de informações, é importante saber como tomaremos decisões, sejam elas pessoais ou no âmbito empresarial, para conhecer a tomada de decisão de cada pessoa. Para entender o processo, cabe compreender a pirâmide do conhecimento, baseada na DIKW (Data-Information-Knowledge-Wisdom), no português, Dados-Informação-Conhecimento-Sabedoria. Esse processo funciona como uma hierarquia informacional utilizado, principalmente, nos campos da Ciência da Informação e da Gestão do Conhecimento e cada camada acrescenta característica a anterior de forma que se complementam.

Os dados

Representam a terceira camada da pirâmide. A esta cabe a observação e percepção de um fato, qual não depende de um mundo real. Essa camada é ligada aos números, imagens e outras possibilidades que gerem maior compreensão sobre determinado tema. 

Informação

Representam a quarta camada da pirâmide e provém do processamento, manipulação e organização do antecessor (os dados) e implica em uma modificação no conhecimento geral do organismo.

Conhecimento

Representado pela quinta camada, esse item permite vantagem de ganho. Da camada anterior para o conhecimento é possível prever um acontecimento. Ele também possibilita tirar conclusões relacionadas às informações e aos dados ou por novas conclusões. O conhecimento acerca de um tema é que possibilita agir com assertividade e fazer conexão com os saberes acumulados.

 

O comportamento

Por fim, a pirâmide está representada pela ação sabedoria, sendo que a segunda é a compreensão humana mais refinada e equilibrada de determinado conhecimento. Isso contribui para compreender o melhor momento de usar as informações. Isso se torna possível por meio dos dados coletados e sua interpretação ao longo da pirâmide do conhecimento. 

 

Com isso, é importante salientar que, conhecendo o processo da pirâmide, agora, você precisa lembrar que as tomadas de decisões não são baseadas somente nos dados, mas em um conjunto de fatores capazes de somar resultados.

Por data

Categorias:

Campanha publicitária e suas vantagens

Campanha Publicitária
Campanha publicitária

Campanha publicitária e suas vantagens

Uma campanha publicitária informa ao público sobre ideias e produtos. A criação de uma campanha publicitária ajuda a sua empresa alcançar novos mercados. Assim como conquistar novos clientes e tornar mais forte a sua marca.

Neste texto, vou explicar quais as vantagens de uma campanha. Também vou passar algumas dicas de como fazer uma campanha publicitária. Além disso, quais são os elementos principais para a sua criação de uma campanha publicitária e seus principais apelos. Acompanhe e veja como a sua empresa pode obter resultados positivos.

Atenção do público-alvo

Você deve ter percebido que falar com o público é um trabalho árduo. Isso acontece porque a quantidade de empresas anunciantes é alta. Além disso, com o avanço da tecnologia, impactar o consumidor está mais difícil, uma vez que o consumo de mídia é fragmentado.

Até os anos de 1990, a atenção do consumidor estava nos meios off-line. Era possível escolher entre 5 emissoras de TV. Assim como escolher outros 5 veículos de mídia impressa e algumas emissoras de rádios.

Com a evolução da tecnologia, estar presente em apenas um meio é o mesmo que jogar dinheiro fora. E não basta anunciar no Facebook, Instagram, Linkedin, Twitter ou Tiktok. Você precisa conhecer muito bem o hábito de consumo do seu público.

Campanha publicitária ou uma peça avulsa, qual a melhor saída?

A concorrência está mais ativa e com muitos diferenciais. Eles podem ser o preço, qualidade, entrega, atendimento, entre vários outros. Apesar disso, você deve aproveitar o diferencial da sua empresa e divulgá-lo.

Mas existe um fator que a sua marca precisa levar em consideração ao destacar o USP (unique selling proposition):

  • a quantidade de meios e veículos de comunicação e a pulverização do consumidor que consomem várias mídias. Ou seja, está muito mais complexo falar diretamente com o seu cliente. Por isso, entra a importância de uma boa campanha publicitária. Mas, tome cuidado ao selecionar os meios e veículos de comunicação. Um bom plano de mídia deve fazer parte do planejamento de campanha.

Uma campanha publicitária é composta por diversas peças. Elas devem ser amarradas em um mesmo conceito e falar a mesma linguagem persuasiva.

As campanhas são criadas para atingir o objetivo da marca e falar diretamente com o público-alvo. Por isso, elas são veiculadas em vários meios e veículos de comunicação.

A veiculação segue o planejamento de acordo com os objetivos da empresa. Escrevi um texto explicando sobre como fazer o planejamento estratégico da campanha e quais são os resultados alcançados.

Uma peça avulsa

Uma peça publicitária veiculada em um meio de comunicação, atingirá uma pequena quantidade de potenciais clientes. Uma vez que isso aconteça, a venda fica mais complicada e demorada, o que trará frustração por parte de quem fez o investimento.

Entretanto, vale entender qual o modelo de vendas da sua empresa e qual a sazonalidade dos seus produtos e/ou serviços.

Vantagens de uma campanha

Criar uma campanha publicitária gera mais vantagens em relação a uma única peça. Entretanto, precisamos nos deter em atender aos anseios e objetivos da empresa. Por isso, nada vale realizar uma campanha complexa e não alcançar o que foi almejado.

Mas, vamos às principais vantagens:

  • alcança o público desejado com a utilização de diversas mídias;
  • diminui o custo na compra de mídia devido à grande quantidade de espaço comprado;
  • aumenta a lembrança da marca e a torna duradoura;
  • uma vez que as mídias se complementam, a mensagem fica mais clara e persuasiva.
  • educa o público para o uso do produto ou serviço e quais seus benefícios

Baixe o checklist para criar uma campanha publicitária

Como fazer uma campanha publicitária

Pode não parecer, mas como fazer uma campanha publicitária é algo trabalhoso. É preciso conhecer bem o briefing passado pelo cliente e seus principais desafios.

Além disso, os objetivos de uma empresa são os mais diversos. Por isso, é preciso fazer um estudo detalhado antes de iniciar uma campanha. Entretanto, existem alguns pontos em comuns que podem ser notados:

  • a mensagem utilizada precisa falar diretamente com o público consumidor;
  • os anúncios precisam ser claros e simples para não confundir o público;
  • a ideia precisa persuadir o consumidor e levá-lo a realizar uma ação.

Apresento, a seguir, um passo-a-passo com algumas dicas para você fazer a criação de uma campanha publicitária. Mas, são apenas alguns tópicos para ajudá-lo. Não é uma fórmula mágica, tão menos o único modelo.

Análise da situação

Antes de iniciar qualquer campanha publicitária, é importante fazer uma análise da situação da empresa. Essa análise precisa ser um diagnóstico da empresa, assim como do mercado no qual ela está inserida.

Objetivo da campanha

Após entender qual a situação da empresa, o próximo passo é definir os objetivos que a campanha precisa alcançar. Entre eles estão:

  • lançamento de marca, produto ou serviço;
  • posicionamento da marca na lembrança do público;
  • falar com um novo público consumidor;
  • aumento de vendas por meio de promoção;
  • Alcançar novos mercados.

O objetivo da marca é importante para direcionar para qual público a campanha deverá ser direcionada. Além disso, o objetivo serve para nortear o planejamento de campanha na criação de ações estratégicas.

Entretanto, esses objetivos de campanha devem estar alinhados aos indicadores chaves, os KPIs.

Selecione o público-alvo

A escolha do público que será impactado pelos anúncios publicitários deverá tomar uma boa parte do tempo. Uma vez que o público-alvo está bem definido, as chances da sua campanha obterem sucesso são bem maiores.

Mas, tome cuidado ao selecionar o seu público. Não basta usar apenas dados demográficos. Além disso, é primordial estabelecer critérios psicográficos também. Acesse este link e veja o passo-a-passo para definir o seu público consumidor.

Criação do conceito da campanha publicitária

O conceito publicitário é a ideia principal que guiará a criação dos anúncios. Ou seja, o conceito de campanha será a unidade central, tornando a mensagem fácil e rápida para o público entender.

Em outras palavras, o conceito de campanha publicitária precisa representar o objetivo e os valores da marca. Além disso, transmitir a promessa básica e os diferenciais da marca.

Apelos de campanha publicitária

Os apelos de campanha variam de acordo com o perfil do consumidor. Ao conhecer as suas necessidades e expectativas, o uso do apelo correto será mais eficiente.

A criação das mensagens pode fazer uso de vários apelos. Entre eles, destaco:

  • Apelo racional: é o que fala sobre os benefícios que o produto pode trazer ao consumudor, de maneira mensurável. Geralmente, o apelo racional é direcionado para as necessidades básicas. Essas podem ser de higiene, alimentação, segurança, etc. Entretanto, pode servir para informar sobre o que ocorre na empresa, educativos ou financeiros. A seguir, você verá um exemplo de campanha publicitária com apelo racional:
  • Apelo emocional: mostra os benefícios que o consumidor terá ao comprar o produto. Além disso, esse apelo gera associações indiretas ao uso do produto e que leva ao encontro das necessidades do indivíduo. Mas, cuidado ao utilizar muitos apelos emotivos. Às vezes, emoções não esperadas podem ser despertadas. O vídeo a seguir apresenta um exemplo de campanha publicitária com apelo emocional:

Cuidado ao utilizar os apelos moral e sexual. Deve-se evitar levar o consumidor a entender o anúncio como sendo vulgar ou chato.

Entretanto, como tudo na vida, utilize em doses moderadas. A definição do apelo será feito após definir o objetivo da campanha.

Vale lembrar

Crie uma nova campanha para cada objetivo da empresa. Com isso, você evita que o público confunda as mensagens e perca o foco.

Ao fazer uma nova criação de campanha, de acordo com o objetivo o sucesso é maior.

Campanha publicitária com o tempero ideal

A criação de uma campanha demanda dedicação, pesquisa, planejamento e diversas ideias, para atingir os seus objetivos. Entretanto, contar com uma agência de publicidade que da o tempero certo para as suas campanhas, ajudará a sua marca ir além.

A gente sabe como dar o tempero ideal para a sua campanha. Entre em contato e agende uma conversa com os nossos criativos e estrategistas.

Por data

Categorias:

Briefing um documento estratégico

O que é briefing
Briefing

Entenda o que é briefing e como fazer

Briefing bem pensado

As ações de publicidade são pensadas e planejadas a partir do objetivo proposto no briefing. E cabe ao empresário, sócio, diretor, gerente ou o responsável pela comunicação da empresa responder as melhores perguntas. Mas não apenas a esse profissional dentro da empresa. Cabe, também, à agência produzir esse documento em parceria com a marca.

Um briefing bem feito não é aquele cheio de informações, com várias respostas, gráficos de crescimento e projeções de vendas. Entretanto, um bom documento começa com a definição das melhores perguntas. A partir delas é que vêm as respostas que a agência e o cliente desejam. Mas, tome cuidado ao formular as perguntas.

O que é briefing?

Mais que coletar dados, o briefing tem que passar informações à agência. Levantamento de vários dados do cliente, dos concorrentes, do mercado, das ações que foram feitas, entre muitas outras perguntas devem estar contidas nesse documento. Mas, muito cuidado com as informações presente no briefing. Muitas delas podem ser desnecessárias e só atrapalharão.

Briefing

Com as informações em mãos, a agência começa o processo de criação e integração entre todos os departamentos. Além disso, planejamento, mídia e criação devem falar a mesma língua e entregar a mesma resposta para o desafio proposto. O cliente aguarda e deseja a melhor solução para o seu objetivo.

A importância desse documento

Com as informações coletadas, esse documento servirá como material de consulta por todos os profissionais envolvidos no trabalho. Além disso, o briefing pode trazer outros benefícios como:

  • auxiliar no planejamento;
  • organiza as informações;
  • inspiração para a criação;
  • distribuição do serviços aos profissionais qualificados.

Reúna-se com o atendimento

Sempre que necessário, marque uma reunião com o atendimento para pensarem em estratégias para alcançar os objetivos. Esse profissional proporá as melhores perguntas para compor o briefing. Mas, tome cuidado, muitas perguntas podem ser desnecessárias e só servirão para levar dificuldade para as equipes de planejamento e criação.

Perguntas básicas

Algumas perguntas são básicas para a composição do briefing. Entra elas estão:

  • Dados da empresa:
    • para começar um bom briefing, conheça muito bem a empresa, seu histórico, seus produtos, qual o seu posicionamento, relacionamento com stakeholders. Mas, não é a quantidade de perguntas feitas que determinam a qualidade do documento.
  • Objetivo da campanha:
    • a empresa define qual o objetivo pretende atingir. Aqui, a empresa informará se pretende aumentar participação de mercado, gerar lembrança de marca, escoar estoque, etc. Entretanto, não basta informar apenas os objetivos, é necessário estabelecer métricas para acompanhar os resultados.
  • Orçamento para investimento:
    • é importante informar à agência qual o valor disponível para ser investido em comunicação. Além disso, informe qual a origem do budget. Isso ajudará a agência nas estratégias.
  • Prazos:
    • informe à agência qual o prazo para que o projeto seja veiculado.
  • Público-alvo:

Uma boa agência é questionadora. Não fica contente com a primeira informação. Mas corre atrás para procurar a melhor resposta e responder a melhor pergunta.

Por data

Categorias:

Criatividade é o tempero para a sua marca

Criatividade é o tempero da marca

Uma certeza eu tenho:🤖 os robôs não substituirão a criatividade. O nosso jogo de cintura, rebolado, intuição estão muito distantes de qualquer algoritmo que exista. E, neste texto, pretendo apresentar a importância da criatividade para a construção de uma marca forte.

agência de publicidade mokeka criatividade é o tempero da marca

A criatividade

Sabe o jeitinho brasileiro, aquela malemolência que só nós temos? O saber dar risada e aproveitar todos os momentos com a melhor perspectiva? Pois é. Nós, brasileiros, somos craques nessa cozinha.

A nossa criatividade é apimentada no dia-a-dia: na superação dos desafios, nas oportunidades aproveitadas, na correção dos rumos após um desvio. Afinal, criatividade é algo que está em nosso DNA desde o momento da concepção. Ela só precisa ser temperada para você sentir seus sabores.

 

Criatividade é repertório

Criatividade é o tempero da marca

Quando eu falo que a criatividade precisa ser temperada é porque você precisa ter repertório para ligar os pontos. Ou seja, quanto mais você aprende com a vida (aqui vale tudo, desde os estudos em escolas, até os estudos de botequim), maior será a sua criatividade. Vale uma dica para os publicitários: criativo não fica preso atrás de uma mesa, trancado em um escritório. Tem que estar na rua, conversando com as pessoas, sentindo o ambiente, vivendo.

Sabe o que tem em comum entre uma banda famosa ou um DJ que todos gostam? São seus repertórios, suas experiências musicais, seus conhecimentos de como entreter uma plateia. Sabe aquele filme criativo que você gosta? Ele deve ter te tocado por causa de alguma experiência em comum que você percebeu.

O repertório é construído a partir do momento que começa a sua vivência social. A convivência com amiguinhos do presinho, da escola, do trabalho e do seu convívio. Repertório não é o que você aprende na escola, mas o que aprende na vida. E, saber juntar os pontos, passa por utilizar a criatividade a seu favor.

 

Criatividade é só para as artes

Criatividade é só para artes

Meia verdade!

A liberdade criativa fica explícita nas artes. Nas pinturas, músicas, campanhas publicitárias, filmes, entre outras atividades percebemos e sentimos a criação atuando.

Mas só o pessoal de humanas pode ser criativo? Claro que não, pessoa de exatas ou biológicas. Talvez não fique explícita no seu dia, porém, você faz uso da criatividade na sua profissão. Muitas soluções de problema surgem do “improviso”. E, esse improviso, é a sua criação.

 

 

O jeitinho brasileiro

Sabe aquele jeitinho brasileiro que eu falei no começo deste texto? É a nossa maneira de criar, de temperar a vida. Desde o nosso “descobrimento” que fazemos uso da criatividade. Isso acontecia por causa da dificuldade que tínhamos – e temos – para acessar os recursos necessários para sobreviver.

O único problema do nosso jeitinho é que a corrupção tomou proveito disso. Mas, não vamos falar sobre isso. Quero falar apenas dos aspectos positivos.

 

Criatividade nos clássicos da propaganda brasileira

Muitos clássicos da propaganda brasileira fizeram e fazem uso do jeitinho. Garoto Bombril, a dupla da Brastemp, cachorrinho da Cofap, animais da Parmalat são alguns exemplos do jeitinho brasileiro. Na época de suas criações, o acesso a recursos técnicos era baixo. A maneira de resolver isso foi colocar a criatividade para funcionar.

Os principais comerciais que lembramos são aqueles que possuem um conceito criativo forte e uma mensagem “simples” e direta. O primeiro Valisère, Semp Toshiba Quebrada, número 1 da Brahma, Hitler para a Folha de São Paulo são alguns clássicos que fazem uso de uma mensagem simples, porém impactante.

Porém, com o avanço da tecnologia, as ideias estão ficando escondidas atrás dos recursos visuais. Mas esse é um assunto para outro momento.

 

Por que a minha empresa precisa ser criativa?

Para se destacar da concorrência é o primeiro argumento. Porém, existem outros. Esses podem ser: atrair a atenção do consumidor 🙋‍♀️🙋‍♂️, gerar engajamento nas mídias sociais, ser relevante e atraente. Por isso, com esses poucos argumentos, posso afirmar que utilizar a criatividade é primordial para a sobrevivência da sua marca. Afinal, produto sem marca é apenas um produto igual ao do concorrente.

Se não fosse a criatividade, qual seria o energético ou o sabão em pó que você compraria? Se a sua empresa não tem uma marca, e isso não significa apenas um nome e logotipo, passou da hora de providenciar uma. Use a criatividade para alcançar novos mercados e novos consumidores. Atraia o cliente, faça ele se apaixonar por você como se fossem um casal recém casado. Mantenha um bom relacionamento e tenha um posicionamento que expresse o porquê da existência da sua marca.

Lógico que já ouviu a expressão que diz: quem não é visto não é lembrado. Vou além: quem não é desejado, não é lembrado. Torne a sua marca desejada.

Por data

Categorias: