Agência de publicidade Mokeka | Atibaia

Metaverso ou rima pobre?
Metaverso ou rima pobre?

Metaverso ou rima pobre?

Um assunto muito discutido nos √ļltimos tempos √© o metaverso. Como as marcas podem aproveitar esse assunto e criar os seus pr√≥prios mundos no ambiente digital. Isso √© muito interessante, se pensarmos no desenvolvimento da tecnologia e como as marcas podem surfar e ganhar territ√≥rio em um ambiente inovador e muito a ser explorado.

Por√©m, existe algo que precisa ser discutido, tamb√©m: o p√ļblico est√° preparado para participar desse novo ambiente? Vivemos em um pa√≠s cuja popula√ß√£o mais pobre representa quase 30%. Al√©m disso, h√° um abismo s√≥cio-digital: mais de 80% da popula√ß√£o tem acesso √† internet, por√©m, apenas 20% dessas pessoas possuem acesso de qualidade. O outro restante n√£o tem plano de dados suficiente para durar o m√™s inteiro.

Ainda na mesma p√°gina, os equipamentos utilizados para navegar no metaverso demandam um certo investimento, uma vez que a tecnologia empregada consome muito do equipamento. Processadores e placas de v√≠deos potentes s√£o exigidos para que haja realmente uma imers√£o no metaverso. Trazendo a conversa para os dispositivos m√≥veis, esses precisam ser de √ļltima gera√ß√£o para que n√£o ocorram travamentos ou aquecimento dos aparelhos. 

As marcas que direcionam seus produtos para as classes sociais mais baixas (C, D e E), precisam pensar muito bem antes de realizar qualquer ação no ambiente digital, ainda mais no ambiente do metaverso. Entretanto, as marcas que comercializam produtos para as classes mais altas (A e B), podem estudar em qual ambiente estarão presentes.

Problemas do metaverso

Mas, ainda existem muitos problemas com o metaverso. Para come√ßar, ele n√£o √© um ambiente compartilhado. Ou seja, o que voc√™ adquire em uma plataforma, n√£o consegue levar para outra. Por exemplo: digamos que voc√™ tenha comprado um par de t√™nis para o seu avatar no Descentraland. Voc√™ n√£o conseguir√° levar essa compra para o The Sandbox. Para tornar esse exemplo mais pr√≥ximo, o que voc√™ compra no Fortnite, n√£o consegue levar para o Minecraft (ambos os jogos podem ser considerados metaverso devido a imers√£o que cada jogo proporciona). Al√©m disso, as big techs que est√£o entrando nesse ambiente, querem que voc√™ fique mais tempo em suas plataformas, fazendo uso dos dados que voc√™ compartilha nesse ambiente, muitas vezes, sem fornecer informa√ß√Ķes sobre o que elas est√£o fazendo com esses dados.

LEIA TAMB√ČM:  Mokeka: 1 ano de hist√≥ria

Em um ambiente real, o metaverso poderia ser a representação de um grande planeta virtual, no qual, para você se movimentar entre as plataformas, seria apenas necessário apresentar um passaporte digital, ou, neste caso, um NFT para ficar dentro deste mesmo tema.

Outra desvantagem é o uso das criptomoedas. Moedas que são usadas para fazer a compra dos NFTs no metaverso. Cada plataforma possui a sua própria moeda e, como não há regulamentação, a confiança no uso desses ativos é discutível.

A rima pobre

O metaverso ainda √© incipiente. At√© ganhar maturidade e relev√Ęncia demorar√° uns bons anos. At√© que o seu acesso seja democr√°tico, o metaverso n√£o ter√° nada de verso, ser√° apenas uma rima pobre, que n√£o far√° parte da grande massa.

Eu torço para que em um futuro não tão distante, os universos sejam compartilhados e que a imersão seja benéfica para todos. Enquanto isso, cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

A conversa sobre o metaverso está aberta e precisa ser ampliada. E eu quero saber de você. Qual a sua opinião sobre o metaverso e se já entrou nesse novo universo de possibilidades?