O futuro das experiências: expectativas para 2019

O futuro das experiências: expectativas para 2019

o futuro das experiencias

O futuro das experiências é um tema atual. Você sabe o que seus clientes pensam da sua empresa? Nos dias atuais, o consumidor está cada vez mais exigente em suas compras. Com a expansão do mundo digital ele tem facilidade para buscar e compartilhar informações. O que faz com que a reputação do seu negócio esteja nas mãos dos clientes. Por isso, é necessário entender qual o nível de satisfação de cada um deles em relação aos serviços ou produtos que você oferece.

Consumidor exigente demanda mais experiência

A vasta disseminação da tecnologia e informação tem tido um impacto significativo na mudança do perfil dos consumidores que estão cada vez mais exigentes. Você certamente notou isso, não é mesmo? Acompanhar de forma contínua cada estratégia dentro do seu negócio é essencial para aprimorar cada vez mais as experiências geradas pela marca e estar à frente da concorrência. Além de pontos específicos e estratégicos voltados para cada área das organizações, existem pontos importantes e que devem ser valorizados. Pois bem, abaixo listamos alguns deles:

Atendimento: O atendimento ao cliente é a primeira chave para uma relação duradoura entre público e empresa. Investir nesse ponto pode dar credibilidade à marca e aumentar as vendas;

Satisfação do cliente: Monitorar a satisfação dos seus clientes assegura uma boa relação e mantém a boa reputação dos negócios;

Canais de contato: Os canais de contato são caminhos dos clientes até a marca. Para melhor experiência, é necessário que ofereçam praticidade e qualidade, visando o perfil dos clientes;

CS e Relacionamento: É nesse ponto em que você se diferencia do concorrente e fideliza o cliente.

O futuro das experiências: tendências para 2019

Agora que você identificou os pontos principais, vamos falar sobre o futuro das experiências e as tendências para 2019? Bom, o ano de 2018 está sendo marcado pela necessidade de exclusividade do cliente e pela grande proporção de dados. Por isso é necessário começar por:

Personalização por meio de dados: Uma comunicação personalizada faz com que o cliente se sinta especial. Além disso, essa estratégia fideliza os clientes, que disseminam o nome da sua marca;

Campanhas com microinfluenciadores: Os consumidores estão dando mais credibilidade aos novos creators do que para os grandes influenciadores. Segundo levantamento da Squid, os microinfluenciadores produzem 66% do conteúdo disponível na internet e tem um impacto 6 vezes maior nas redes sociais;

Inteligência artificial: A I.A é a mais nova grande aliada das empresas a fim de melhorar as vendas. Vem caminhando lado a lado com o marketing em uma escala gradual de grande eficiência, principalmente como assistentes virtuais e atendimento ao consumidor.

Mapeamento da jornada do consumidor: Mapear a jornada do cliente é comum, não é? Mas em 2019 isso também será tendência. Continuar mapeando os clientes em seu grau de evolução e mudança de comportamento nos multicanais, satisfaz o que tanto buscam, a relação única, uma vez que se use o contato e mensagens em momentos e formatos certos. O que por sua vez, gera a lembrança de marca.

Content Shock: Ou “embate de conteúdo” faz parte das tendências para que sua empresa continue alcançando as pessoas. Ainda que o número de conteúdo gerado ultrapasse o que o público é capaz de consumir, continuar utilizando o Content Shock é uma forma de estar bem posicionado nos motores de busca como Google, Bing, Yahoo e outros, evitando que a concorrência seja notada.

Seja a diferença no mercado

Com todas essas tendências e o futuro das experiências, o que acha de temperar a sua marca? Buscar a diferença no mercado e estar atento a atualização constante implica em vantagens competitivas e gerar a melhor experiência para o seu cliente certamente te colocará à frente!

Por data

Categorias:

Black Friday: quem não vende, tem medo do quê?

black friday

Black Friday: quem não vende, tem medo do quê?

Você quer ver sua empresa largar em vantagem no final do ano? Com um planejamento baseado na Black Friday é possível.

Black Friday

Realidade no Brasil desde 2010, a Black Friday ganhou grande proporção para o público brasileiro, principalmente se compararmos o período de 2014 para os dias atuais. No primeiro, menos de 30% dos consumidores tinham conhecimento sobre a sexta-feira. Hoje, aponta-se que 99,5% dos consumidores conhecem e fazem as famosas compras.

A pergunta é: como transformar a busca em compras efetivas?

Com o crescimento de compras online, a Black Friday é uma chance para a conversão de vendas e o aumento no número de e-shoppers, visto que, de 2012 para esse ano, aumentou de 30 milhões para 60 milhões.

É claro que existem pessoas que ainda evitam a Black Friday, algumas porque enxergam a data como fraude repleto de falsos descontos, outras apontam a falta de dinheiro. Contudo, o consumo nesse evento possui características únicas quando comparado a outras datas. Nesta, a pessoa acredita na boa oferta e se permite comprar produtos para si e para sua casa, fazendo o bom uso da frase “eu mereço”, o que comprova que o carro chefe em vendas neste período, são os smartphones.

Por data

Categorias:

Buscas como conversa

Experiência do Consumidor
Experiência do Consumidor

As buscas estão virando conversa

Buscas como conversa

À medida em que o mundo muda, pequenas partes que o compõem implicam em alterações significativas, como, por exemplo, a tecnologia. Hoje, extremamente intuitiva. O que isso significa? Bom, podemos observar que as pessoas estão fazendo buscas sobre produtos e serviços nos quais estão interessadas como se estivessem conversando. Primeiro, isso implica em perguntas mais precisas e, de certo modo, com uma boa pitada de abordagem específica. Segundo, quando as respostas vêm de forma eficiente, desperta-se uma sensação de confiança e saciabilidade. Com isso, faz nascer uma relação entre quem pesquisa e a marca capaz de oferecer tais respostas.

A busca do “Eu” como destaque

O que se sabe é que as pesquisas específicas estão cada vez mais frequentes e a linguagem abordada soam de forma natural, como um diálogo entre amigos e com o pronome “eu” em destaque.

Ao longo dos últimos dois anos nos Estados Unidos:

  • As buscas com o termo “eu preciso” cresceram 65% no mobile.
  • As buscas com “eu deveria”, também cresceram mais de 65% no mobile.
  • Enquanto que as buscas mobile com “eu posso” subiram para 85%.

Além disso, os termos citados estão ficando cada vez mais frequentes nas seguintes categorias:

  • Finanças;
  • Cuidados pessoais;
  • Automóveis e;
  • Imóveis.

Buscas para quem anuncia

O que isso significa para quem anuncia? É simples: não importa quão óbvia seja a intenção da pessoa ou se a busca parece um pedido de conselho, é necessário criar respostas que atendam a necessidade de cada cliente. Agora vão dois pontos importantes para fazer isso:

  1. Faça uso de uma linguagem mais natural e explore das experiências intuitivas nos seus canais digitais.
  2. Explore além do search. Use palavras chaves e expressões que estão facilmente associadas ao seu modelo de negócio e se atente para frases mais coloquiais que podem ser utilizadas para encontrar você.

Por data

Categorias: