Cuidados de uma promoção

Verba de comunicação
Cuidados de uma promoção

Cuidados de uma promoção

Neste artigo, quero comentar sobre os cuidados de uma promoção. Pois, não é só ter a ideia e sair promovendo a torto e direito. Afinal, envolve toda uma questão jurídica que muitas vezes é deixada de lado.

Atualmente eu tenho visto muitas promoções com marcas e influenciadores digitais nas redes sociais. Isso é muito bom por diversos motivos: aumentar o conhecimento da marca, promover um determinado produto, escoar o estoque, entre outros. Entretanto, o que muita gente desconsidera ao realizar as promoções, são as suas particularidades jurídicas.

Os cuidados de uma promoção passam por entender a diferença entre promoção comercial e promoção cultural. Enquanto a promoção comercial tem o objetivo claro de estimular a venda, a promoção cultural premia o mérito do participante.

Vou detalhar um pouco mais a diferença entre essas modalidades de promoção.

O que é Promoção Comercial?

A promoção comercial, também chamada de distribuição gratuita de prêmios, é uma estratégia de marketing que consiste em alavancar as vendas de uma empresa. Para realizar este tipo de promoção, é necessária uma autorização do Governo Federal, que só pode ser concedida para pessoas jurídicas, de acordo com o a Lei 5768/1961.

Mas, quais os tipos de empresas podem receber a autorização?

Aquelas empresas que exercem atividades comerciais, industriais ou de compra e venda de bens imóveis. Além disso, todos os impostos municipais, estaduais e federais, assim como as contribuições da Previdência Social, precisam estar quites, ou seja, pagos.

E não basta se encaixar nesses critérios. É preciso, também, que a atividade comercial da empresa obedeça as regras da Lei 10406/2002.

O que é Promoção Cultural?

Este tipo de promoção, difere do objetivo da anterior. Em outras palavras, a promoção cultural tem por princípio a promoção artística, cultural e desportivo ou recreativa. Dessa maneira, os concursos culturais não podem estar associados à sorte ou a propaganda e levam em consideração apenas a competência/mérito dos participantes.

Outra diferença é que este tipo de promoção, que visa premiar talentos artísticos ou esportivos, ou simplesmente oferecer lazer (mas sem conotação de mercado), não precisa de autorização por parte do Governo Federal.

Os cuidados de uma promoção

Depois que você entendeu a diferença entre as promoções, eu vou explicar quais são os cuidados que você precisa ter ao realizar uma ação promocional.

Antes de tudo, planeje a promoção que irá realizar. Não queira fazer uma promoção comercial, com distribuição de prêmios, do dia para a noite, uma vez que é preciso requerer uma autorização.

Para solicitar a autorização, você precisa fazer o pedido por meio do Sistema de Controle de Promoção Comercial. Esse pedido deve acontecer entre 40 e 120 dias antes do início da promoção. Além do pedido, é preciso recolher a taxa de fiscalização, cujo o valor da taxa varia de acordo com o valor da premiação.

Valor dos prêmios oferecidosTaxa de fiscalização
até R$ 1.000,00R$ 27,00
de R$ 1.000,01 a 5.000,00R$ 133,00
de R$ 5.000,01 a 10.000,00R$ 267,00
de R$ 10.000,01 a 50.000,00R$ 1.333,00
de R$ 50.000,01 a 100.000,00R$ 3.333,00
de R$ 100.000,01 a 500.000,00R$ 10.667,00
de R$ 500.000,01 a 1.667.000,00R$ 33.333,00
acima de R$ 1.667.000,01R$ 66.667,00

Os documentos que precisam ser enviados, junto com a taxa de fiscalização recolhida está neste link.

A promoção só poderá ter início depois que você obtiver a autorização para a sua realização. Entretanto, essa autorização tem um prazo de validade, que vem anotado no “Certificado de Autorização”. Ao passo que, após a a autorização ser emitida, ela não será superior a 12 meses.

Conheça os prêmios que podem ser distribuídos

A lista de prêmios que podem ser distribuídos gratuitamente é grande. Por isso, vou separar por categorias para facilitar o conhecimento:

  • Mercadorias de produção nacional ou regularmente importadas;
  • Títulos da Dívida Pública da União e outros títulos de créditos que forem admitidos pelo Ministro da Fazenda e Planejamento;
  • Unidades residenciais, situadas no país, em zona urbana;
  • Viagens de turismo (transporte residência/destino/residência, hospedagem e no mínimo uma refeição);
  • Bolsas de estudo.

É proibida a distribuição e a conversão de prêmios em dinheiro. Além disso, alguns tipos de produtos não podem participar de promoção, como distribuição gratuita:

  • Medicamentos;
  • Armas e munições, explosivos, fogos de artifício ou estampido, bebidas alcoólicas, fumos e seus derivados;
  • Outros produtos que venham a ser relacionados pelo Ministério da Fazenda.

Penalidades de uma promoção irregular

Em primeiro lugar, evite fazer uma promoção com distribuição de prêmios irregular. Assim como um concurso cultural que o nome da marca seja apresentado como uma propaganda. Contudo, caso realize uma promoção irregular, as penalidades podem ser as seguintes:

  • Cassação da autorização;
  • Proibição de realizar distribuição gratuita de prêmios pelo prazo de até dois anos;
  • Multa de até cem por cento do valor total dos prêmios.

Ainda há a obrigação da prestação de contas. Quando ocorre o descumprimento das disposições referentes à prestação de contas, sujeita o infrator, apurada a falta em processo administrativo, à proibição de realização de novas promoções, bem como às penalidades cabíveis, sem embargo das demais sanções previstas na legislação aplicável.

Entendeu quais os cuidados de uma promoção?

Enfim, depois de tudo isso explicado, você pode entender quais os cuidados que precisa tomar antes de realizar uma promoção comercial. Bem como é importante conversar com a sua equipe jurídica sobre os trâmites para regularizar as suas promoções.

Evite problemas e punições com as suas ações promocionais e obtenha ainda mais resultados positivos com promoções regulamentadas.

Por data

Categorias:

Como se planejar para a Semana do Consumidor em 2022

Verba de comunicação
Como planejar a semana do consumidor em 2022

Como planejar a semana do consumidor em 2022

O dia do consumidor se tornou a primeira data do ano mais importante e relevante para o e-commerce, ganhando relevância no mercado digital e se tornando uma Black Friday do primeiro trimestre. Devido ao seu volume de buscas, vendas e intenções de compra, houve uma tendência em expandir a data para a Semana do Consumidor e as lojas passaram a oferecer uma semana inteira de promoções, incentivando os clientes a anteciparem suas compras.

Aumentar e movimentar as vendas na semana do consumidor

Com isso, para te ajudar, vou passar algumas dicas de como você pode se movimentar e aumentar as suas vendas nesse período.

Primeiramente, mesmo que óbvio, mas muito importante, você precisa oferecer promoções atrativas e vantajosas ao longo da semana para seus clientes. Pesquise o mercado do seu produto e calcule o percentual de desconto que pode ser aplicado para cada item, para não prejudicar a sua margem de lucro. Ofereça benefícios como: frete grátis, kits de produtos, condições de pagamento especiais, brindes, cashback, etc.

Divulgue suas ações de forma estratégica. As pessoas começam a buscar pelos produtos desejados nos dias que antecedem o evento. Por isso, é importante planejar um cronograma de ações para conquistar a atenção dos clientes e gerar tráfego para a sua loja. Também vale investir em campanhas de mídias pagas no Google Ads ou aplicando estratégias de remarketing no Facebook e no Instagram, por exemplo. Mas não invista em anúncios para qualquer produto de forma aleatória, é importante selecionar produtos estratégicos! 

Você pode escolher produtos em tendência e que tenham maior giro no seu estoque, fica mais fácil de começar desta maneira.

Ao longo da semana nas redes sociais, é legal divulgar suas ofertas e liberar cupons de desconto exclusivos. Isso vai aumentar a sua presença online e atrair novos potenciais clientes e aumentar o engajamento.

Seja omnichannel

O consumidor atual utiliza múltiplos canais em sua jornada de compra, um atendimento fácil, rápido e que resolva eventuais problemas é muito importante na experiência do cliente. Então, no seu planejamento para a  semana do consumidor, verifique se o seu setor de atendimento está funcionando e alinhe para ter o máximo de eficiência em todos os canais.

E para finalizar, por meio de ações de pós-venda, você torna sua marca parte da rotina do cliente, entregando benefícios, informações e novas oportunidades de compra futura. Aproveite para fazer pesquisas de satisfação com o cliente e deixar ainda melhor a experiência de compra do seu consumidor.

Espero ter ajudado, agora mão na massa e ótimas vendas!

Por data

Categorias:

Entenda como definir a verba de comunicação

Verba de comunicação
Como definir a verba de comunicação

Como definir a verba de comunicação

Determinar a verba de comunicação para uma campanha publicitária ou para um período específico do ano não é uma tarefa simples. Contudo, sempre há uma maneira para facilitar essa tarefa.

Mas, a princípio, já quero deixar claro: verba de comunicação é investimento e não gasto. Por mais que a sua contabilidade encare de maneira diferente, o investimento em comunicação gera resultados para a sua empresa. Entretanto, o orçamento de comunicação deve estar dentro da realidade financeira da organização.

Neste artigo, apresento algumas maneiras para te ajudar a estabelecer a verba de comunicação ideal para o seu projeto.

Considerações sobre a verba de comunicação

O investimento em comunicação compõem o orçamento anual da organização. E esse investimento é muito importante, uma vez que qualquer ação tem custos que devem ser pagos. Dessa maneira, você deve adequar a verba de comunicação aos objetivos da empresa.

Nesse sentido, leve em consideração a distribuição da verba em três divisões: compra de mídia, produção de materiais para o ponto de venda e produção para a veiculação. A verba de comunicação pode abranger o seguintes setores:

  • Publicidade: a qual deve incluir as três divisões apresentadas anteriormente;
  • Promoção de vendas: além de considerar as três divisões, lembre dos prêmios, brindes e outros itens que compõem essa ação;
  • Relações públicas: abrange as campanhas e outras atividades correlatas, tais como eventos, feiras e convenções;
  • Merchandising: aqui, podemos subdividir o investimento em:
    • eletrônico: quando ocorre alguma inserção em mídias eletrônicas a verba faz parte da publicidade;
    • ponto de venda: o investimento pertence a campanha, seja de publicidade ou promoção.

Estipulando a verba de comunicação

Não pretendo apresentar nenhuma fórmula mágica para estipular o investimento. Entretanto, apresento dois modelos que você pode aplicar na sua empresa:

O primeiro exemplo é calcular o investimento em comunicação feito nos últimos anos e confrontar com os resultados alcançados. Nesse sentido, chegamos a um percentual mais adequado para realizar o investimento. Em contrapartida, esse modelo é aplicado para lançar um novo produto ou criar uma campanha de sustenção da marca.

o segundo exemplo demanda mais tempo, uma vez que é preciso investigar o investimento do seu concorrente. Para isso, observe as inserções publicitárias feitas durante um determinado período de tempo. Após isso, calcule o total de GRP e o valor aproximado do investimento do concorrente. Logo depois, você terá o investimento da sua organização.

Ressalto que, atualmente, é possível calcular o montante investido apenas nas campanhas publicitárias ocorridas em ambiente offline. Isso porque cada veículo de comunicação tem uma tabela pública e as compras de mídia ocorrem por meio de negociação sobre essa tabela. Diferente do ambiente digital, salvo os grandes portais, que o investimento ocorre de acordo com o mínimo investimento possível por parte do cliente.

Invista em comunicação

Encare o planejamento da verba de comunicação como um investimento. Invista na comunicação da sua organização, do produto ou serviço. Por meio da comunicação a sua organização ganha visibilidade, aumenta os resultados de venda e torna a sua marca desejada.

Por data

Categorias:

Avaliar os resultados das ações

Avaliar os resultados das ações
Avaliar os resultados das ações

Avaliação dos resultados da campanha publicitária

Toda estratégia de comunicação possui uma etapa para avaliar os resultados das ações. De acordo com os resultados previstos no planejamento publicitário, as ações são corrigidas ou mantidas. O uso de um sistema que avalie os resultados de acordo com os objetivos é uma ferramenta muito importante.

O planejamento publicitário é uma das etapas mais importantes em uma campanha. Tem um texto aqui no blog que apresenta as suas etapas. Mas, neste artigo, vou falar sobre a avaliação dos resultados na campanha publicitária.

Avaliar os resultados do planejamento

Aqui na agência, a gente segue um processo de avaliação dividido em quatro etapas:

  1. determinamos os padrões de acordo com o objetivo e metas propostos no briefing;
  2. estabelecemos um sistema de avaliação dividido em o que, como, quando e quem avaliará;
  3. comparamos os resultados atingidos com os pré-estabelecidos;
  4. caso os resultados estejam muito fora do limite, corrigimos as ações.

Mas, para avaliar os resultados das ações, é primordial definir os objetivos e metas S.M.A.R.T.. De acordo com o objetivo proposto é que saberemos qual o problema de comunicação deve ser resolvido. Assim como qual a melhor estratégia será utilizada e quais resultados poderão ser avaliados.

Para controlar isso, criamos uma tabela com os principais indicadores (KPIs) e acompanhamos os resultados. Para cada cliente, uma tabela dividida por campanha e objetivo. Além disso, toda semana acompanhamos os resultados.

Dentro do planejamento publicitário, a avaliação dos resultados é um dos últimos itens a serem abordados. Mas nem de longe o menos importante. Quando você mensura os resultados, torna tangível aquilo que na comunicação muitas vezes é intangível.

Como avaliar os resultados?

Quando você cria uma campanha publicitária, cujo o objetivo é lembrança ou percepção de marca, só é possível conhecer o resultado por meio de pesquisa. As pesquisas de mercado são importantes.Afinal, elas fornecem as possibilidades de criar e explorar todas as variáveis ofertadas. Oriente as suas decisões por meio das respostas que a pesquisa apresentar.

Entretanto, se o objetivo for aumentar as vendas, você pode acompanhar pelo fluxo de caixa ou estoque. Mas, tudo dependerá dos objetivos de marketing estabelecidos pela sua empresa.

Outra maneira que você pode usar para controlar o resultado é utilizando o ROI (retorno sobre o investimento). O cálculo pode ser feito assim:

Verifique o valor da receita originária da campanha e subtraia o valor do investimento. Com o resultado, divida pelo valor do investimento novamente. Com o valor do cálculo, multiplique por 100 para chegar à porcentagem do retorno sobre o investimento realizado.

Não deixe para a última hora

Se você não sabe por onde começar, aqui vai um passo-a-passo para montar um sistema de avaliação de resultados:

  1. Realize uma pesquisa para conhecer o posicionamento da sua empresa;
  2. Defina o objetivo de acordo com o resultado da pesquisa;
  3. Estabeleça o orçamento de comunicação;
  4. Monte um briefing;
  5. Faça uma concorrência para a escolher o parceiro criativo;
  6. Junto com a agência contratada, estabeleça os principais KPIs;
  7. Aprove as peças criadas, assim como os meios e veículos da campanha;
  8. Crie um sistema para avaliar os resultados;
  9. Gere relatórios para analisar corretamente os resultados;
  10. Comemore cada objetivo alcançado.

Próxima etapa

Agora que você entendeu como um sistema de avaliação dos resultados é importante, implante nas suas próximas campanhas. Uma vez que essa é uma ferramenta eficiente e que quantifica e apresenta os resultados alcançados.

Por data

Categorias:

A magia da automação de marketing

Automação de marketing
A magia da automação de marketing

A magia da automação de marketing

A automação de marketing é uma vantagem comercial para qualquer organização. Ou seja, independente do tamanho da empresa na qual trabalha, a tecnologia facilita a automação comercial.

Há várias ferramentas no mercado que podem ser contratadas. Cada uma com sua característica e seus custos. Mas, como escolher a ideal? Isso dependerá do seu objetivo e do orçamento disponível.

Em contrapartida, a escolha da ferramenta errada pode trazer muitas dores de cabeça. Uma assinatura anual, de algo que não atende os objetivos da empresa, é um desperdício de orçamento. Por outro lado, a contratação correta pode gerar muitos resultados positivos.

Tá bom, mas o que é automação de marketing?

A automação é um processo que facilita a gestão de marketing e vendas. Integra os dois departamentos e acelera a jornada de compra do cliente. Isso é possível, uma vez que a tecnologia auxilia na captação, qualificação, nutrição, vendas e relacionamento. Parece magia, mas é tecnologia.

Uma estratégia bem definida e etapas de automação bem planejadas são a base da automação de marketing.

Passo-a-passo da automação de marketing

A automação de marketing começa com a entrada de um contato, também chamado de lead, na base de dados. Isso pode acontecer por meio da importação de uma lista de contatos existentes. Mas nada de ficar comprando listas frias. Outra maneira de converter um contato é por meio de uma landing page. Uma página de captura criada para essa finalidade. O formulário de contato do site é outra maneira.

Em seguida, a próxima etapa é a qualificação do lead e a divisão por segmentos de interesse. É neste momento que a magia, ops, a nutrição entra em ação. Afinal, se eu quero saber sobre alimentação de ovíparos, por qual motivo receberei um conteúdo sobre como os golfinhos se comunicam?! Quanto mais o lead interage com os conteúdos, mais qualificado ele se torna. Pode-se controlar isso por meio de pontuações que o contato recebe, por vários critérios que podem ser definidos.

Um parênteses para o lead scoring: é possível criar vários critérios de qualificação por meio de pontos. Dependerá dos seus objetivos e do perfil ideal do consumidor que você estabeleceu. Critérios como cargo, porte da empresa, quantos materiais ricos foram baixados, região onde mora o lead são alguns itens que podem ser classificados. E, para cada um, você pode pontuar com o critério que julgar ser mais importante.

Voltando! A nutrição é a maneira como serão os leads serão contatados. Pode ser por meio de e-mail, mensagem de SMS, WhatsApp (se ele não ficar fora do ar), publicação nas redes sociais, entre outros. Além disso, você pode criar um material rico, divulgar nas redes sociais e fazer uma campanha apenas para os leads de um determinado segmento. Isso pode ser feito importante a base de dados para a rede escolhida e fazendo uma campanha direcionada para essa lista.

A venda na automação

O processo de vendas pode ocorrer por meio de uma plataforma eletrônica, como um e-commerce, ou por venda direta, por meio de um vendedor. Mas, para ambos os processos de vendas, a etapa de qualificação precisa ser muito bem feita. E, só depois do lead estar apto a comprar, é que ele passará para a etapa de vendas. Nesse sentido, se o lead não estiver bem educado, a venda será mais difícil e o vendedor perderá muito tempo.

Médio a longo prazo

A automação de marketing é uma excelente alternativa para o ganho de tempo em atividades comuns. Mas, aqui vale uma ressalva: o resultado desse processo ocorre em médio a longo prazo. Ou seja, não adianta implantar a automação hoje e querer colher o resultado amanhã. Persistência, periodicidade e consistência.

Por data

Categorias:

Marketing de causa: um benefício para a marca

Marketing de causa
Marketing de causa

Marketing de causa: um benefício para a marca

O marketing de causa auxilia a dar mais visibilidade à marca, assim como torna-la mais forte, fidelizar e conquistar novos clientes. Mas não basta colocar uma fita amarela no logotipo da empresa. Contudo, a marca quando se posiciona, fideliza os seus clientes e conquista novos.

Afinal, o que é marketing de causa?

Esse é um tipo de visão de marketing que algumas empresas têm. Um de seus objetivos é gerar bem à empresa, mas para a sociedade também.

No marketing de causa as empresas fazem campanhas publicitárias visando gerar benefícios para todas as partes. Claro, desde que sejam feitas com clareza e transparência.

Algumas causas são mais comuns que outras. As principais são: o combate contra a pobreza extrema, garantia de vida saudável e educação inclusiva. Essas causas são as mais lembradas pelos consumidores.

É possível identificar como o marketing de causa gera um efeito positivo para a marca. Segundo o “Estudo marketing relacionado à causa 2019”, realizado pela IPSOS, 77% dos consumidores no Brasil acreditam que as marcas contribuem para a transformação social. E uma média igual de consumidores gostaria que mais marcas apoiassem as causas.

Ou seja, as empresas que apoiam essa visão de marketing se saem bem, fazendo o bem, conforme o Cause Marketing. E não confunda com o marketing social. Neste link, escrevemos sobre o que esse tema.

Benefícios para a marca

A adesão a uma causa traz benefícios para a marca. Entretanto, as pessoas precisam acreditar na causa e a marca precisa ser de confiança.

Um dos benefícios é o crescimento das vendas. Desde que o valor do produto não seja alterado. Outro benefício é o aumento de lembrança da marca, uma vez que o cliente poderá recomenda-la a seus amigos e familiares.

Ou seja, ao apoiar uma causa, a marca alça sua postura ética a outro patamar, o que garante uma boa imagem junto aos seus stakeholders.

Algumas dicas para o marketing de causa

  • Escolha a causa que a sua empresa se identifica, mas, ao mesmo tempo, que tenha identificação com os seus consumidores;
  • Engaje os colaboradores, fornecedores e pessoas relacionadas à sua empresa. Assim como engajar a comunidade e seus clientes;
  • Seja transparente com o propósito e apoio à causa;
  • Defina os meios de comunicação ideais para transmitir a mensagem de apoio;
  • Converse com outras empresas para somar esforços.

Como percebemos, o marketing associado a causa está muito ligado às estratégias de construção de identidade de marca. Por isso, conte com o suporte de uma empresa de comunicação para dar o apoio necessário às suas ações.

Por data

Categorias:

Anúncio em vídeo: considere essa ferramenta

Anúncio em vídeo
Anúncio em vídeo

Anúncio em vídeo

O anúncio em vídeo é uma ferramenta que deve ser considerada no planejamento de campanha. É uma ferramenta que converte e ajuda a construir a sua marca.

Dados do anúncio em vídeo

Os aparelhos de TV estão presentes em mais de 95% dos lares brasileiros. Mas há uma grande diferença na presença dos aparelhos entre as regiões do país. Enquanto a região norte possui 91,6% das casas com aparelhos, a região sudeste tem 97,7% dos lares com pelo menos um aparelho de TV.

Por outro lado, a internet está presente em mais de 82% das residências no Brasil. E o acesso, assim como a TV, concentra-se nas regiões mais populosas. Além disso, o celular é o aparelho mais utilizado para acessar a internet.

Como resultado, o consumo de vídeo, na TV ou na internet, representa quase 100% de toda a população. Ou seja, TV, streaming, redes sociais e até mesmo vídeos-chamadas impactam as pessoas.

Comportamento do consumidor

O consumo de vídeo gratuito no Brasil, em qualquer plataforma, é maior em relação a outros países. Entretanto, segundo o Kantar IBOPE Media, a televisão continua sendo a principal mídia que o brasileiro assiste. Em média, o público fica mais de 7 horas por dia na frente da TV. Já o consumo de streaming passa de 1 hora e 40 minutos.

Aqui, vale destacar que no digital, o YouTube é o canal mais assistindo, seguido por Netflix e Amazon Prime. O streaming atrai o interesse das pessoas devido ao formato dos conteúdos que as plataformas oferecem.

Por outro lado, as lives que fizeram muito sucesso no início da pandemia, perderam sua relevância no digital. Por ser um produto de consumo momentâneo, não conseguiram engajar o público por um longo período.

É possível observar, também, a diferença entre as faixas etárias no consumo de vídeos. Enquanto os jovens entre 16 e 35 anos são heavy users de plataformas de streaming. Já o público maduro, acima de 58 anos, prefere a TV a cabo. E, a faixa etária entre 46 e 55 anos assistem à TV aberta.

Qual estratégia usar no anúncio em vídeo

Para atingir o objetivo da campanha, pode ocorrer do anúncio em vídeo não se encaixar na estratégia da marca. Entretanto, vale ressaltar a importância do seu uso, uma vez que para contar uma história, a penetração da mensagem é mais forte. Isso acontece devido ao uso dos nossos sentidos.

Mas, voltando à estratégia para usar o anúncio em vídeo, podemos dividir os filmes publicitários em 2 modelos:

Anúncio institucional: são os filmes que contam a história da marca, seus principais valores e sua missão. Os seus principais objetivos são: tornar conhecida, gerar lembrança e manter a marca na mente do consumidor.

Anúncio promocional: esses filmes ajudam a promover uma ação que tenha como objetivo acelerar as vendas, promover algum produto ou escoar o estoque da empresa.

Criatividade no anúncio em vídeo

Use a criatividade para criar os anúncios em vídeo. Conte uma história que prenda a atenção de quem está assistindo e não interrompa o entretenimento do consumidor com algo que não o agrade. Defina o conceito, monte a história em um storyboard, crie o texto e as falas dos personagens. Seja original.

Criar um anúncio em vídeo hoje faz a sua marca alcançar o seu público e aumentar a interação com a sua marca. Use e abuse da criatividade para falar com o seu cliente.

Por data

Categorias:

Marketing de relacionamento

Fotografia na campanha publicitária
Marketing de relacionamento

Marketing de relacio-namento

O marketing de relacionamento é uma estratégia de longo prazo. É preciso investir para que a sua empresa seja lembrada. Para isso, existem vários modelos de relacionamento. Sobretudo, esses modelos ajudam a manter a sua empresa competitiva, atraia e mantenha os seus clientes.

Marketing de relacionamento e a concorrência

Atualmente as empresas concorrem entre elas para aumentar sua participação no cliente. Elas disputam uma participação maior nas compras do cliente para suas categorias de produto. Devido à alta concorrência, hoje a meta não é alcançar uma pequena parcela da preferência de muitos clientes. Mas sim obter a preferência total dos clientes existentes.

Podemos entender a importância de não se limitar a alcançar novos clientes. Mas, também, conservá-los e cultivá-los. O marketing de relacionamento é uma estratégia orientada para o longo prazo.

Conquiste a preferência do cliente e incentive uma nova compra por meio do marketing de relacionamento. Com essa estratégia, a sua empresa passa a ser lembrada positivamente. Existem várias ferramentas estratégicas que podem ser usadas para manter um relacionamento duradouro com seus clientes. A sua empresa pode construir um relacionamento com os seus clientes de diversas maneiras. Essas podem ser: econômica, social, técnica e legal, dependendo do mercado.

Modelos de relacionamento

  • Recompensa: esse modelo de relacionamento recompensa o cliente. Ou seja, estimula a compra recorrente por meio de prêmios, bônus, cupons de desconto e outros incentivos;
  • Educacional: programa de comunicação interativo que ensina e coloca à disposição do cliente diversos materiais informativos. Em outras palavras, o principal objetivo deste programa é “educar” o cliente para o uso ou consumo do produto;
  • Contratual: é um clube de vantagens para os clientes no qual o membro paga uma taxa de sócio para usufruir de benefícios exclusivos. Por exemplo: a participação em eventos de caráter exclusivo ou a compra de produtos com preços muito baixos;
  • Valor agregado: reconhece o cliente por algum serviço agregado à compra do produto. A recompensa pode ser um período grátis de outro serviço ou algo que complementa e agrega valor para o cliente;
  • Aliança: modelo de relacionamento utilizado por empresas que não são concorrentes e fazem alianças para prestar um serviço aos seus clientes comuns. Por exemplo: companhias aéreas que tem parcerias com outras empresas para os clientes alugarem carros com descontos.

O valor do cliente

Com o mercado competitivo, as empresas não devem focar somente no gerenciamento de produtos, mas focar nos clientes também. Ao mesmo tempo, não precisam manter relacionamento com todos os clientes. Afinal, toda empresa tem clientes que são indesejáveis.

Marketing de relacionamento significa atrair, manter e cultivar clientes lucrativos. Além de avaliar o valor que entrega aos clientes, a sua empresa deve avaliar e medir o valor do cliente.

Por data

Categorias:

Como construir um relacionamento lucrativo

Promoção de vendas como estratégia de negócio
Como construir um relacionamento lucrativo

Como construir um relacionamento lucrativo

Como construir um relacionamento lucrativo, sendo que hoje em dia as empresas enfrentam a concorrência mais acirrada de todos os tempos? Para elas conseguirem obter sucesso no mercado terão de passar de uma filosofia de produto e venda para uma filosofia de cliente e marketing.

Entrega de valor e satisfação

A teoria e prática do marketing tradicional sempre teve o foco na atração de novos clientes, ao passo que a retenção dos existentes não era trabalhada.

As empresas precisam ser especialistas não apenas na construção de produtos, mas também na construção de clientes. Dessa maneira, a solução está em trabalhar melhor que os concorrentes para entregar valor e satisfação para o cliente.

Atração para construir um relacionamento lucrativo

Você sabia que custa até cinco vezes mais atrair um novo cliente do que manter satisfeito um cliente existente?

Além de atrair novos clientes, toda empresa também deve trabalhar para reter os existentes e construir um relacionamento lucrativo com eles. No passado, com a economia em expansão e os mercados em acelerado crescimento, as empresas não precisavam dar a devida atenção à manutenção de relacionamentos. Atualmente, devido ao novo cenário competitivo, tal quadro está mudando.

Muitas empresas estão aprendendo que perder um cliente significa perder mais do que uma única venda. Significa perder todas as compras recorrentes que o cliente faria ao longo de sua vida.

Por Exemplo:

Um supermercado que perde um cliente por alguma insatisfação, perde também R$ 100 mil reais. Porque o cliente médio gasta R$ 200,00 por semana, compra 50 semanas por ano e continua morando na cidade por cerca de 10 anos. Se este cliente tiver uma experiência negativa e passar a comprar no concorrente ele perderá R$ 100 mil de receita.

Atrair, manter e cultivar os clientes lucrativos

O caminho para construir um relacionamento duradouro é a criação de valor e satisfação para o cliente.

Os consumidores sempre escolherão a oferta de marketing que acham que lhes entregará maior valor. Em outras palavras, quando ficam satisfeitos, continuam a comprar ofertas que satisfazem ou ultrapassam suas expectativas de valor.

Clientes satisfeitos têm maior probabilidade de se tornarem clientes fiéis, eles têm mais probabilidade de fazer compras recorrentes, e assim dar à empresa uma participação maior em sua preferência. 

Por data

Categorias: